Publicado em Heróis

Christopher Reeve tinha sina de herói. O material de divulgação de "Superman, o Filme", em 1978, prometia: "Você vai acreditar que um homem pode voar". E os mais de US$ 300 milhões arrecadados nas bilheterias mundiais provam que o espectador acreditou.

 

As razões para esse sucesso foram muitas: o talento do diretor Richard Donner, o roteiro do mesmo Mario Puzo de "O Poderoso Chefão", os efeitos especiais revolucionários para a época, a própria natureza icônica do personagem. Mas um elemento foi decisivo nesta trajetória: o carisma do protagonista.     

 

O Superman de Christopher Reeve pegou o mundo de surpresa. A combinação entre a inocência e o humor de Clark Kent e a condição de herói clássico que o ator ajudou a desenhar para o personagem fisgaram o espectador.

 

 

Mais de 20 anos antes dos filmes de super-heróis virarem febre --e um dos pilares da indústria cinematográfica--, Christopher Reeve já havia interpretado o maior de todos eles. Do alto de seu 1,93m, o ator, formado pela prestigiada Juilliard School of Performing Arts, virou um astro da noite para o dia. Ganhou até o Bafta, o Oscar inglês, de revelação.

 

O sucesso não impediu o ator de buscar filmes que o desafiassem: foi o herói romântico de "Em Algum Lugar do Passado" (1980), dividiu a tela com Michael Caine no suspense "Armadilha Mortal" (1982), viveu um padre em "Monsenhor" (1982). Tudo no auge da fama como homem de aço.

 

 

O terceiro filme do Superman, de 1983, muito mais uma comédia do que um filme de super-herói, já não fez tanto barulho e o quarto, abominável, encerrou e enterrou a série por um bom tempo, liberando Reeve para outros trabalhos, mais discretos, muitos para a televisão.  

 

Em 1995, uma queda de cavalo deixou o ator tetraplégico, mas Christopher Reeve estava destinado a virar um herói da vida real. Numa cadeira de rodas, passou anos lutando pelas pesquisas com células-tronco. Em sua aparição na festa do Oscar, um ano depois do acidente, foi aplaudido de pé por mais de um minuto e levou muitas estrelas de Hollywood às lágrimas.

 

 

Continuou a dirigir e aparecer em filmes, como uma refilmagem para a TV do clássico de Alfred Hitchcock, "Janela Indiscreta". Resistiu por nove anos, antes de morrer, aos 52, no dia 10 de outubro de 2004, de uma parada cardíaca.

 

Saía de cena o último grande herói do cinema, o melhor de todos os Supermans que já chegaram às telas, o homem que inspirou gerações e que fez o mundo acreditar que um homem poderia voar.

 

Superman (1978) Trailer HQ

 

SUPERMAN Original Movie Trailer

 

  

fonte www.uol.com.br

Publicado em Infância

Gwyneth Paltrow revelou ter ficado comovida com um trecho de "Homem de Ferro 3" inspirado no velório do piloto brasileiro Ayrton Senna, morto em 1994. Na ocasião, a irmã do desportista segurava o capacete dele, cena reproduzida no Homem de Ferro 3

Publicado em Heróis

ATENÇÃO: Se você não aceita que seus heróis sejam alvos de piadas ou qualquer maculação a memórias da sua infância, deixe de assistir esse vídeo agora mesmo! :)

 

O universo das produções japonesas reserva várias situações inusitadas, muitas delas inexplicáveis... Pensando nisso, o site JBox reuniu os 10 maiores mistérios do mundo dos tokusatsus. Você consegue desvendá-los? Confira:

Publicado em Infância

Hoje eu abri a página do google pela manhã e me deparei com essa imagem. Em seguida um amigo me enviou uma mensagem falando que hoje o Senna completaria 54 anos de vida.

BRINQUEDOS

TECNOLOGIA

COISAS DO BAÚ